Segunda-feira
20 de Agosto de 2018 - 

Notícias

Newsletter

OAB-BA entrega cartilhas de combate à violência contra a mulher

Em homenagem ao Mês Internacional da Mulher, a OAB da Bahia distribuiu 600 cartilhas com orientações e dicas de combate à violência contra a mulher. A ação foi realizada na Central dos Juizados, no Imbuí, no Fórum Ruy Barbosa, Fórum das Varas Cíveis e Fórum das Varas de Família, em Nazaré.Coordenada pela vice-presidente da Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher (CPDM) da seccional, Bianca Pellegrino, a iniciativa contou com a participação das representantes da CPDM Ludmila Aguiar, Renata Deiró e Miucha Bordoni; da presidente da Comissão dos Juizados da Ordem, Vanessa Lopes; da vice-presidente e da representante da OAB Jovem, Sarah Barros e Rosângela Costa; e das advogadas Mariana Sodreiro a Elisângela Ribeiro. Também estiveram presentes o presidente e o representante da OAB Jovem, Hermes Hilarião e Gustavo Azevedo.“A nossa cartilha foi elaborada como uma ferramenta da seccional para libertar mulheres do ciclo de abuso, esclarecendo-as sobre os diferentes tipos de violência doméstica e familiar. Nossa perspectiva é, até o final do mês, distribuir mil dessas”, disse Bianca Pellegrino.Para o conselheiro federal Fabrício de Castro, a ação demonstra a preocupação da seccional com o universo feminino e a redução de dados de violência contra a mulher. “Temos falado muito em empoderamento feminino, mas ainda estamos carentes de atitudes como esta, que utilizam o corpo a corpo em busca da conscientização e acolhimento”, destacou.Desenvolvida com o apoio da OAB Jovem e Escola Superior de Advocacia Orlando Gomes (ESA-BA), a cartilha possui dados e informações sobre o combate à violência contra a mulher e a Lei Maria da Penha, telefones para denúncia e um questionário que tem como objetivo identificar se a mulher está vivendo um relacionamento abusivo.“É importante que elas saibam identificar o tipo de violência e a forma adequada de agir, porque, além da agressão física e do feminicídio, existem a violência moral, que são ofensas e calúnias, a psicológica, a sexual e a patrimonial, que é a retenção dos bens e destruição de objetos, e é importante saber combater cada uma delas”, complementou Bianca.Ainda este mês, serão entregues cartilhas no Fórum Juiz Antônio Carlos Araújo de Oliveira (Justiça do Trabalho), no Comércio.
14/03/2018 (00:00)
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.